A importância da divisão dos circuitos elétricos de uma residência

No Ceará, os projetos elétricos são feitos tomando a NBR 5410 e a NT 001 como base, a fim de garantir um projeto seguro. Essas normas técnicas estabelecem critérios para a divisão dos circuitos do sistema, contudo, na prática, percebe-se que essa divisão é comumente desrespeitada, visando um projeto mais barato ou até mesmo por falta de conhecimento dos projetistas ou responsáveis pela execução do projeto.

A importância de dividir circuitos elétricos.

 

 

É interessante respeitar essa divisão para evitar possíveis sobrecargas dos condutores, e também para evitar eventuais transtornos durante manutenções ou problemas. Cada condutor tem uma corrente máxima que ele é capaz de conduzir de maneira segura, quanto maior o número de aparelhos ligados ao mesmo circuito, maior a corrente que os condutores desse circuito irão conduzir. Quando a corrente é muito elevada e os cabos não estão dimensionados para essa corrente, os cabos tendem a esquentar, podendo derreter e causar danos nos aparelhos conectados ou podendo até causar incêndios. Outro problema é na hora de realizar manutenções no sistema elétrica do imóvel. Antes de tudo é preciso identificar a fonte do problema e quando todos os aparelhos estão ligados num mesmo circuito é mais difícil identificar a fonte do problema, sendo necessário, muitas vezes, cortar o fornecimento de todo o imóvel, quando a divisão de circuitos é respeitada geralmente é necessário cortar a energia apenas de alguns cômodos.

 

Mas como dividir os circuitos?

 

- separar tomadas de iluminação

- separar áreas molhadas dos outros ambientes

- evitar circuitos com mais de 10A de corrente

- criar um circuito para cada tomada de uso específico (ar-condicionado, chuveiro elétrico, fogão elétrico, motores, etc)

- respeitar a quantidade de circuitos reserva

 

Adauto Neto, graduando em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará.